Quem mexeu no meu queijo?

Eu reli a pouco o livro “Quem mexeu no meu queijo?”, uma metáfora que indica as mudanças que ocorrem nas organizações e nas nossas vidas.

No livro quatro personagens (2 ratos e 2 duendes) saem em um labirinto à procura de queijo para se alimentarem. Quando o encontram se acomodam e sentem que não precisam de mais nada, pois tem muito queijo naquele local. Até que o queijo acaba e eles ficam sem saber o que fazer. Cada um tem uma reação sobre como agir após essa mudança.

Eu fico imaginando, quando estamos empregados e nossa função está indo bem, nos acomodamos e não percebemos que as coisas vão mudando aos poucos, até que percebemos que estamos paralisados sem saber o que fazer.

No final do ano mexeram no meu queijo e me fizeram agir. O que devo fazer? Ficar paralisado, sem saber o que fazer, ou procurar um novo queijo para sobreviver? E você, como está a sua situação? Você está confortável em sua posição, você está percebendo se estão mexendo em seu queijo, se as coisas estão mudando? Você, que é professor, utiliza metodologias novas de aprendizagem, ou você continua com o queijo velho e embolorado, dando aquela aula tradicional dos nossos tempos?

E agora, com a pandemia, mexeram no queijo de todos nós. O que estamos fazendo? Quando terminar essa crise, voltaremos a fazer o que fazíamos antes? Ou estaremos com queijo novo?


“Notar cedo as pequenas mudanças ajuda-o a adaptar-se às maiores que ocorrerão”
“Cheire o queijo com frequência para saber quando está ficando velho”

A imagem pode conter: José Carlos Perini, sentado e área interna

Sobre perini

José Carlos Perini publicou 71 posts no seu blog.

Professor universitário Faculdade Metrocamp e People Computação Oracle Certified Professional, Java SE 6 Programmer

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply